Você se sente só?

Após mais de um ano de pandemia, milhares de pessoas se viram em muitos momentos isoladas em casa, algumas com suas famílias e outras em isolamento total.

Muitos perderam entes queridos e se pegaram com esse sentimento de solidão, que nos faz repensar nossas escolhas e nossa rotina daqui em diante. A pandemia nos deixou mais reflexivos sobre o que realmente importa, principalmente sobre as pessoas que realmente importam.

Se sentir só não é uma exclusividade sua, esse sentimento nos arrebata diversas vezes ao longo da nossa história. Mas como resolver algo tão íntimo? Olhar pra nós mesmos e nos auto avaliarmos também é fundamental nesse processo, nos questionar a respeito do nosso desempenho até aqui.
Uma vez ouvi a frase: “O dever moral de quem está na vida, é tornar o mundo melhor do que é hoje para amanhã.”

Por isso, comece por você, o sentimento de solidão tem diversas causas, mas o autocuidado vai te ajudar nos primeiros passos. Cuide de você, adicione em sua rotina coisas prazerosas, como um café da manhã com o que você mais gosta, por exemplo. A sua companhia deve ser agradável primeiro a você.

Depois, busque ser gentil com as pessoas, vizinhos, porteiros e até mesmo pessoas na rua. Lembre-se, pessoas parecidas se atraem. Depois disso, alegre-se, isso mesmo, alegre-se! Pessoas alegres atraem outras pessoas, a alegria deve ser algo que não se pode perder, principalmente em tempos como esse. Geralmente nos tornamos alegres quando lembramos os motivos de gratidão. Você tem motivos pra agradecer? Você está vivo, com saúde? Você tem pessoas que gostam de você? Você fez uma refeição hoje? Você pode olhar a natureza, sentir o cheiro do mato, ouvir o som do mar! Seja grato!

Seja hoje o que você espera do outro e construindo esse comportamento dia a dia a história fica mais bonita de se contar e as pessoas começam a se aproximar.

Sente que não tem amigos? Seja amigo para alguém. Não tem familiares? Seja família pra alguém. O sentimento de solidão é aplacado quando damos aquilo que queremos. E no caminho, descobrimos pessoas que podem ser novos abrigos, novos lares e novas companhias.

Assim que terminar de ler isso, mande uma mensagem dizendo algo que sempre pensou mas nunca disse a alguém 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *